Conferência “A rua respeita a mulher?”

​Realizou-se no passado dia 12 de Julho, na Sala do Arquivo dos Paços do Concelho, a conferência “A rua respeita a mulher?”. 

Promovida pela Equipa do Plano de Acessibilidade Pedonal (PAP) da Câmara Municipal de Lisboa (CML), a iniciativa pretendeu promover uma auscultação e reflexão acerca da segurança na utilização dos transportes e espaços públicos, especifica e especialmente sob a perspetiva da Mulher. 
 
A sessão contou com um completo painel de intervenientes, composto pelo coordenador do PAP, o Arq.º Pedro Homem de Gouveia; pelo Professor Manuel Lisboa, do Observatório Nacional de Violência e Género da FCSH/NOVA; pela investigadora Adriana de Souza, da Universidade de Brasília; e, ainda, pela Arq.ª Paula Miranda, da Cooperativa Trabalhar com os 99%. O encerramento da conferência coube ao vereador dos Direitos Sociais, João Afonso.
 
Depois das apresentações dos oradores, teve lugar uma auscultação estruturada com recurso a uma metodologia de focus groups. O objetivo foi o de promover uma reflexão e discussão em torno da resposta à questão colocada pelo responsável do PAP – “em 2050, numa cidade ideal, livre de insegurança, o que é que as faria sentirem-se seguras?” 
 
A GEBALIS aceitou o desafio e marcou presença nesta iniciativa, assistindo às apresentações e integrando um dos grupos de trabalho, representada pela técnica do GEP, Dra. Inês Vale César.
 
Ao grupo, composto por: dois elementos representantes da Cooperativa Nacional De Apoio a Deficientes (CNAD); um elemento representante do Departamento dos Direitos Sociais da CML; uma estudante de doutoramento na Universidade de Lisboa/ISEG; e ainda, um elemento da força de segurança pública, do Comando Metropolitano de Lisboa - coube a reflexão sobre um dos subtemas propostos – “Estar na rua, de dia. O que me faz sentir segura?”. 
 
A informação recolhida e obtida na iniciativa será tratada e integrada no decorrer de um plano de Ação elaborado para 2017, no âmbito do PAP, que prevê: 

Objetivos a curto prazo
- Agenda da mobilidade urbana;
- Envolver entidades relevantes;
- Capacitar decisores técnicos.
 
Ações até final de 2017
- Conferência 
- Rede de contactos internacionais
- Inquérito online
- Levantamento de dados
- Grupos focais
- Inquérito sobre o andar a pé
- Manual Revisão Boas Práticas
- Projetos-piloto para obra